Como Praticar

No início cada praticante recebe um mapa onde estão marcados pequenos círculos de cor magenta que correspondem aos pontos de controlo, materializados no terreno pelas “balizas” (prismas de cores laranja e branca) e por uma estação eletrónica.

Numa prova, o tempo começa a contar quando o participante pega no mapa e termina após ter passado todos os pontos de controlo por ordem sequencial. As partidas são realizadas de forma intervalada (contrarrelógio) e no final o mais veloz é considerado o vencedor.

O único instrumento de auxílio à navegação é a bússola, mas não é essencial. É possível realizar um percurso de Orientação sem utilizar uma bússola. Tudo depende da experiência do participante e da dificuldade do desafio apresentado.

Nos Percursos Permanentes de Orientação Turística de Aguiar da Beira não existem estações eletrónicas e as balizas foram substituídas por placas identificadas com o código de cada ponto de controlo.

Além disso, no percurso permanente de Aguiar da Beira os participantes podem visitar os pontos de controlo por ordem aleatória.

Já nos percursos dos Dolmens de Carapito e da Rota do Míscaro a ordem de visita dos diferentes pontos de controlo deve ser respeitada.

pt_PT
pt_PT